sexta-feira, 1 de abril de 2011

Jair Bolsonaro usa termos homofobicos e racistas em entrevista ao CQC

O Deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ), deu uma entrevista ao CQC da TV Bandeirantes e falou no quadro “Povo Quer Saber” e a entrevista foi polemica, Jair falou sobre, as curiosidades do povo e se seus filhos namorassem uma mulher negra ou até mesmo virarem homossexuais.


Isso gerou até revolta e magoa da Cantora Preta Gil que processou o deputado.



Fonte: O Globo


Créditos: Radio de Verdade


O deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) foi parar nos assuntos mais comentados do Twitter após uma polêmica entrevista ao programa CQC, da Band. Ao participar do quadro “Povo quer saber”, em que respondeu a curiosidades do público, o deputado disse que seus filhos não correm o risco de namorar uma mulher negra ou virarem gays, porque “foram muito bem educados”.



- Não vou discutir promiscuidade com quer que seja. Eu não corro esse risco. Os meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambientes como lamentavelmente é o teu – disse Bolsonaro, em resposta à cantora Preta Gil, que perguntou ao deputado o que ele faria se filho dele se apaixonasse por uma negra.



Sobre como encararia a homossexualidade de um filho, o deputado voltou a repetir que “não corre este risco”:- Isso nem passa pela minha cabeça. Eles tiveram uma boa educação. Eu sou um pai presente, então não corro este risco.



Numa entrevista em que disse que seus gurus na política são todos os presidentes da ditadura militar, Bolsonaro falou também sobre uma possível participação em uma parada gay:


- Não iria porque não participo de (eventos para) promover os maus costumes. Até porque acredito em Deus, tenho uma família, e a família tem que ser preservada a qualquer custo, senão a nação simplesmente ruirá.



Em seguida, o parlamentar respondeu por que é contra as cotas raciais, adotadas em várias universidades brasileiras.


- Todos nós somos iguais perante a lei. Eu não entraria em um avião pilotado por um cotista, nem aceitaria ser operado por um médico cotista.


A forma como Bolsonaro agiria em relação a opções dos filhos foi questionada mais de uma vez pelo público. Em uma delas, perguntaram ao deputado o que ele faria se um filho fosse flagrado usando drogas.


- Daria uma porrada nele, pode ter certeza disso – disse o parlamentar, para responder em seguida se “torturaria” o filho pelo uso de entorpecentes: – Se agir com energia é torturar, vai ser torturado. Antes de dizer que é “uma pessoa excepcional dentro de casa”, Bolsonaro disse que detesta Cuba e que, por ele, Dilma Rousseff jamais seria presidente da República:


- Pelo passado dela, de sequestros e roubos – afirmou, referindo-se à época em que a presidente fazia parte de grupos de esquerda que lutavam contra a ditadura.


Bolsonaro também enumerou os motivos pelos quais sente saudades do regime militar no Brasil:


- Do respeito, da família, da segurança e da ordem pública e das autoridades que exerciam autoridade sem enriquecer.



Preta Gil vai processar o deputado



A cantora Preta Gil vai processar o deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) pelas declarações do parlamentar em entrevista ao programa CQC, da Band, que foi ao ar na noite de segunda-feira.


O advogado da cantora, Ricardo Brajterman, afirmou que, na esfera criminal, entrará com uma representação no Ministério Público por crime de intolerância racial e homofobia. Na esfera cível, vai entrar na comarca da capital fluminense com uma ação para reparação por danos morais. Para completar, o advogado entrará com uma notificação junto à Comissão de Direitos Humanos da Câmara.


Brajterman contou que Preta Gil só viu o vídeo com as declarações de Bolsonaro na internet, porque não acompanhou o programa na segunda-feira à noite. O advogado disse que Preta Gil chorou ao assistir à entrevista do parlamentar.


- Ela está muito abalada, muito chocada e indignada. Em um país onde se prestigia todos os princípios da dignidade humana, um deputado se expressar dessa maneira é de chocar – afirmou Brajterman.


A assessoria de Preta Gil informou que ela não vai falar com os jornalistas sobre o caso. Mas, no Twitter, a cantora desabafou:


“Advogado acionado, sou uma mulher negra, forte e irei até o fim contra esse deputado, racista, homofóbico, nojento, conto com o apoio de vocês”.


Amigo de Preta, Luciano Huck saiu em defesa da cantora. Em mensagem postada em seu perfil no Twitter, condenou a atitude do deputado:


“@PretaMaria, feliz um país que tem alguém como você como cidadã. Lamento por aqueles que votaram neste infeliz que está onde não deveria estar”.


Integrante da Frente Parlamentar Mista pela Cidadania LGBT, que foi relançada nesta terça-feira, o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) pediu o apoio dos movimentos negro e LGBT contra as declarações de Bolsonaro.


“Atenção movimentos Negro e LGBT: quero o apoio de vocês na mobilização da sociedade contra o crime de racismo praticado por Bolsonaro”, escreveu no Twitter o deputado.


“Bolsonaro terá de responder por seu crime e imoralidade porque queremos uma sociedade justa e boa! Amanhã (vamos) ver o meio mais rápido de representar contra esse racista homofóbico no Conselho de Ética da Câmara! Isso não vai ficar assim!”, disse Jean Wyllys em outras duas mensagens postados no microblog.



Jair Bolsonaro se defende em programa de rádio



O deputado foi ouvido no programa do Pedro Augusto da Super Rádio Tupi na quarta feira, e o mesmo rebateu dizendo que não e contra os homossexuais e nem mesmo contra as mulheres negras.



O Info News reproduziu uma entrevista do apresentador do CQC Marcelo Tas sobre a entrevista do deputado Jair Bolsonaro, para acessarem a entrevista basta clicar aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário